Nem tudo pode ser domado

20171211_190034
Canal da Barra da Lagoa – Florianópolis, SC | 11/12/2017

Tão logo achei poderia que ser capaz de dizer
“finalmente estou pronto”
mas isso não seria verdadeiro
apenas o desejo totalmente cego.

Não que seja mentira
nem tão pouco sincera.
Deixe-me tentar fazer entender

Não foi planejado
embora não se possa negar:
o risco foi desejado.

Não houve nenhum plano
apenas sentir e tentar organizar
afinal, tal como poderia se fazer?
duelar contra o desconhecido?

Houveram-se tentativas de(s)controle
juntamente e acima de tudo, sede.
de como antes, poder respirar
e lidar com a novíssima novidade.

Uma simples e agoniante necessidade
resultante do descobrimento
no tropeço do acaso…
Uma outra existência
assim como a sua consequência.

Um grito vindo de dentro
como aprisionado em um invólucro.
Oprimido da sua liberdade
ora tão ansiada, temida,
agraciada e incompreendida.

Venha Tempo!
Seja meu guia,
mostra tua força com toda a energia.

Mesmo que nunca esteja pronto
por crescer mais a cada ponto
sei que estou no caminho certo.
Esse é meu singelo alento.


– Alexandre

Anúncios
20171128_161554
UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, campi Trindade – Bosque do CFH | Florianópolis, SC | 28/11/2017

Entre abraços apertados
por amores represados
sentimentos ignorados
solidões demasiadas
somos tantas vezes desafiados…

Sempre a confrontar
alimentando-se da força e energia
sem jamais por princípio, se curvar.

Não somos capazes de nos contentar.
E nem nada de nos aquietar.
Vamos continuar?


– Alexandre

Continuidade, é vida

IMG_0807.jpg
Recortes. | Parque Estadual do Rio Vermelho, Praia do Moçambique – Florianópolis, SC | 15/04/2018.

Muitos dias temos conosco
mais dor para se queixar
do que alegria para explanar..

Devemos prosseguir
re(in)sistir.

De pé a ficar, mesmo sem motivos para sequer estar.
E tão bom ao final, poder olhar para si e sorrir
mesmo que eu não possa falar, ainda posso sentir.


– Alexandre

Relevância

IMG_0819
Praia do Moçambique – Florianópolis, SC | 14/04/2018 // shot with iPhone 7.

Papéis amarelados
em um emaranhado
intrinsecamente memorado,
ainda, em pedaços rasgados.
Vivos.

O tempo os castigou
mas o coração, nele, eternamente os guardou
um (in) finito sem fim
Sem mais persistir, ainda assim

Na memória ainda não acabou
no físico, ainda não dispersou
pra lembrar,
que nem tudo podemos controlar.

Por amor em todo nosso Ser.
Pra manter o viver.

Elucidar

As vezes, um devaneio
completamente alheio
nos faz desejar
mais do que podemos
ser, realmente, capazes de lidar.

Quando tudo parecer acabar
a ponto de literalmente desmoronar
lembre-se que a derradeira verdade
não pode ser omitida contra vontade.


– Alexandre

Saudade

Praça Fernando Machado – Memorial Miramar – Florianópolis, SC. // 2016

Tua voz foi melodia
principalmente ao acordar
que alegrava, e fez vibrar..

Chamou-me a atenção
teu jeito sério e brincalhão
que abraçou meu coração.

por reflexo, desejo tua essência
me encanto por tua existência.

Tua lembrança faz-me voar..


– Alexandre